dezembro 21, 2009

O Leito Celestial - Irving Wallace

" Num romance altamente provocador, Irving Wallace explora o mundo da terapia "especializada" que caracteriza um dos aspectos mais singulares da revolução sexual nos Estados Unidos. Mas, o que de facto impressiona no novo livro de Wallace é a denúncia que deixa em suspenso sobre os que, à custa de um tipo próprio de medicina, se colocam à margem da lei, utilizando, para alcançar os seus objectivos, os mais variados subterfúgios que, inclusivamente, podem recorrer à prostituição. É essa a base da intriga que decorre numa dispendiosa clínica da Califórnia. Pela mão de Wallace, o leitor penetra nas zonas obscuras e interditas de um mundo de que nem sequer suspeita e no qual a sexologia não passa de um simples pretexto, de um negócio ou, afinal, da forma nova como se exercem costumes tão velhos como o mundo."

Antes de mais nada, esta sinopse dá uma ideia errada do livro. Atrevo-me a dizer que pouco tem a ver com o livro. Dá a ideia de que vamos ler sobre pessoas sem escrúpulos, que sob a capa da medicina praticam o crime de proxenetismo e prostituição. Na realidade Wallace não deixa denúncia sobre nada. Aliás a mim parece-me que ele concorda com a utilização de delegadas sexuais como complemento ao tratamento psiciológico de problemas sexuais - impotência, ejaculação precoce, etc. A denunciar alguma coisa, ele denúncia o preconceito sobre estas técnicas polémicas. Feito o esclarecimento, passemos ao livro, do qual não gostei nem um bocadinho.

O Leito Celestial fala-nos do Dr. Arnold Freeberg, um terapeuta sexual, que recorre à utilização de delegadas sexuais, por achar que existem problemas que não se curam apenas com conversa. As delegadas sexuais são mulheres (e homens, embora com menor expressão) formadas para ajudarem homens (e mulheres) a ultrapassarem os seus problemas sexuais. Aprendem uma série de técnicas que têm como objectivo fazer com que os pacientes se sintam à vontade com o próprio corpo e a pensar menos no acto em si. O Dr. Freeberg instala a sua clínica em Hillsdale, Califórnia, depois de ter sido intimado a desistir da utilização de delegadas, em Tucson, Arizona. Parte para a Califórnia esperando encontrar um ambiente menos conservador que entenda a utilidade da terapia que faz. No entanto também aqui surge a acusação de que estará a cometer um crime, pois as delegadas serão prostitutas e ele, como consequência, o seu chulo.

É basicamente isto... Ou seja quase nada. O livro é enfadonho, previsível, não estando particularmente bem escrito. Wallace passa 80% do livro a descrever as sessões de dois dos delegados, Gayle Miller e Paul Brandon, com os respectivos pacientes. Descrições demasiado repetitivas e roçando a literatura pornográfica de má qualidade. Desde o início sabemos que um dos pacientes tem na verdade a intenção de expor o que se passa, denunciando a prática de prostituição para, desta forma, ser promovido no jornal para o qual trabalha. Também não é difícil de adivinhar que no fim se arrependerá e não denúncia nada. O relacionamento amoroso que surge entre Gayle e Paul é infantil e irritante, com diálogos e situações tão pouco verosímeis que em nada contribuem para melhorar a história.

Comprei-o porque tinha lido O Maior Espectáculo do Mundo onde gostei muito da maneira como ele descreve a ascenção do P.T. Barnum, o maior showman que a América já conheceu. O livro é divertido e, não sendo sobre um tema que me interesse especialmente, fiquei surpreendida por o ter lido com agrado. Agrado esse que pensei dever-se às qualidades literárias do Wallce, pelo que fiquei curiosa para ler um romance dele. Saiu-me o tiro pela culatra... Espero que ele tenha livros melhorzinhos ou seria estranho toda a fama que carrega.

Concluindo: livro não aconselhado. :/

3 comentários:

  1. Tens uma mensagem natalicia no meu blog que se dedica a ti:
    http://viagemnasleituras.blogspot.com/2009/12/feliz-natal-para-todas.html!
    FELIZ NATAL!
    Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  2. deolinda.loureiro@gmail.com5 de março de 2011 às 18:39

    Li-o num ápice. Livro em que Wallace, despido de preconceitos, desmistifica alguns problemas de índole sexual vividos e sofridos por uma grande percentagem da população americana e de outros continentes.
    Um grande livro!

    ResponderEliminar
  3. Lê "Os 7 minutos" ou "O prémio". Não me desiludiram nem um bocadinho

    ResponderEliminar