novembro 11, 2010

A Guerra dos Tronos - George R. R. Martin

"Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, recebe a visita do velho amigo, o rei Robert Baratheon, está longe de adivinhar que a sua vida, e a da sua família, está prestes a entrar numa espiral de tragédia, conspiração e morte. Durante a estadia, o rei convida Eddard a mudar-se para a corte e a assumir a prestigiada posição de Mão do Rei. Este aceita, mas apenas porque desconfia que o anterior detentor desse título foi envenenado pela própria rainha: uma cruel manipuladora do clã Lannister. Assim, perto do rei, Eddard tem esperança de o proteger da soberana. Mas ter os Lannister como inimigos é fatal: a ambição dessa família não tem limites e o rei corre um perigo muito maior do que Eddard temia! Sozinho na corte, Eddard apercebe-se que também a sua vida nada vale. E até a sua família, longe no norte, pode estar em perigo."

Eis que dou por mim a fechar o primeiro livro da saga escrita por George R. R. Martin, As Crónicas de Gelo e Fogo, e a achar que não é assim tão espectacular como se dizia por aí. Estava à espera de algo mais inovador, mais arrebatador, mais empolgante, enfim, mais tudo. Não desgostei mas também não amei.
Sabendo que é uma saga e que o primeiro volume original corresponde aos dois primeiros volumes editados pela Saída de Emergência, vou dar o desconto e vou querer ler o segundo, porque achei este primeiro demasiado introdutório, sem grandes acontecimentos ou avanços na história. É também por ser um livro que faz parte de uma série deles que não me vou alongar muito nesta minha opinião, uma vez que comentar histórias das quais ainda não conheço o fim me parece inútil.

Tenho alguma dificuldade em falar da história, pois não encontrei nela nada de muito original e por isso tenho a sensação de que estou a relatar o óbvio... Temos um reino, governado por um rei não tão competente quanto isso, manipulado pela rainha, uma mulher ambiciosa e pertencente a uma família poderosa.
Temos uma família quase perfeita, os Stark, que vive em Winterfell, uma região gelada do norte dos Sete Reinos. Eddard Stark é amigo de infância de Robert, o agora Rei. Quando o amigo lhe oferece o prestigiante cargo de ser a Mão do Rei, Eddard sente que não é um pedido do amigo mas sim uma ordem do seu rei. Embora contrariado, Eddard aceita a oferta pois vê nela a oportunidade de investigar a estranha morte do seu antecessor e tem a esperança de que possa ser uma boa influência no reinado de Robert, um homem no qual mal reconhece o amigo de longa data, um homem cujo reinado modificou de forma tão vincada.
Temos intriga, conspirações, traições, personagens dúbias e muita violência. Temos lobos gigantes e uma muralha gigantesca, a Muralha de Gelo, que separa e protege o reino de um bosque sinistro supostamente habitado por criaturas misteriosas e pouco amigáveis.
Temos ameaças de invasão por povos vizinhos, apoiados pelos que estavam no poder antes de Robert, derrubados por este. Temos ódios antigos que não diminuem com o tempo, antes pelo contrário, apuram com o tempo. Temos isso tudo e mais algumas coisas e, pelo menos neste primeiro volume, é o que o livro tem para oferecer.

No início tive dificuldade em entrar na história. São muitos nomes, muitas personagens e muitos conceitos novos. Mas isso é natural em histórias do género e por isso não conta sequer como ponto negativo. Para mim o único ponto negativo foi mesmo a falta de originalidade porque se o tivesse lido antes de ter lido As Brumas de Avalon e O Senhor dos Anéis, talvez o tivesse achado diferente. Comparando, mal comparado, com a outra saga que anda pelas prateleiras de meio mundo, gostei mais da história do Fitz contada pela Robin Hobb em A Saga do Assassino, do que da história dos Sete Reinos contada por George R. R. Martin. Mas, como já disse, só depois de ler todos os livros poderei ter uma opinião formada e fundamentada.
Passando aos aspectos positivos do livro, que felizmente não são poucos, a história está bem contada, prende o suficiente para que se vá lendo "só mais um capítulo" e gostei da escrita limpa do autor. É uma escrita muito fluída e agradável de se ler. Tem personagens muito fortes e que tornam a história sólida e interessante. Gostei especialmente do núcleo da família Stark, de Eddard, um homem honesto e tolerante e adorei a relação que ele mantinha com os filhos. Gostei muito da Arya, uma pirralha rebelde, mais esperta que qualquer adulto naquela terra e gostei do Jon Snow, o bastardo, tão equilibrado e sereno. Achei enternecedora a forma como o autor descreve a relação entre os irmãos Stark.
Depois achei muito bem conseguida a personagem do anão Lannister, intrigante e tão dúbio que chega a irritar. :) Para além disso é divertido e traz um outro colorido à história.

Fiquei curiosa para ler o segundo volume, mais que não seja porque este acaba numa fase em que parece que acção vai começar a sério e fica-se assim a modos com um sabor amargo na boca. Parece quase como sentarmo-nos na sala de cinema, vermos os primeiros 20 minutos e obrigarem-nos a voltar daqui a uns meses para ver o resto do filme. Porque este primeiro livro é o equivalente a 20 minutos de um filme, é demasiado introdutório, basicamente de apresentação de personagens e do próprio mundo criado pelo autor.

Gostei e recomendo se gostarem de histórias de fantasia, com castelos, reis, rainhas e afins. Aconselho, no entanto que tenham o segundo volume à mão para quando terminarem o primeiro.

Boas leituras! :)

Nota: Segundo a minha contagem do Goodreads, este foi o 50º livro de 2010. Confetis e mais confetis. :p Não faço ideia se li mais este ano do que nos outros porque não sou de prestar atenção a essas coisas mas, gosto do número 50 e por isso aqui fica a nota. :)

5 comentários:

  1. Viva! Acabei por "tropeçar" neste louvável blog sobre leitura e, sem querer fazer dele um espaço de promoção própria, gostava de aproveitar para deixar o convite a descobrir o meu recente trabalho "Os Bárbaros" (http://www.fnac.pt/Os-Barbaros-Humberto-Oliveira/a320310) ou até, quem sabe, outras das minhas obras cujo lançamento se encontra para breve. Agradecido,
    Humberto Oliveira (Jimmy David).
    www.wix.com/jimmydavid/wixjimmy

    ResponderEliminar
  2. Fica a sugestão e, se tiver oportunidade, vou lê-los. :)

    ResponderEliminar
  3. Olá olá
    de inicio gostei emenso desta série. aliás li os primeiros 6 livros de uma assentada e estava deliciada com as reviravoltas próprias deste escritor (sabes os maus e os bons? esquece...).
    depois veio o sétimos livro e a descoberta de que ainda estava a meio da saga (14 livros? mas está tudo maluco?) e que parte dos livros ainda estavam por escrever. desisti. uma dia, depois de todos os livros estarem publicados logo penso se vale a pena.
    as minhas personagens favoritas tb são o Jon e a a Arya (acho que é geral) mas acho que na Arya não conjugam a idade e a maturidade. demasiado forçado para uma miúda daquela idade.
    boas leituras

    ResponderEliminar
  4. Patricia: O tamanho da saga também me assusta e por isso tenho sérias dúvidas se vou passar do 2º volume. Não fiquei fã com este primeiro volume. Concordo, em parte, contigo relativamente à Arya, em parte porque, a história não se rege pelos nossos costumes e valores morais e por isso não me incomodou muito a maturidade da Arya.
    Boas leituras! :)

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde! eu estou apaixonada pela serie!! procuro os livros para conseguir perceber o quanto a historia irá evoluir...estou muito interessada em saber como irá acabar a rainha regente, a filha mais velha do Stark que me irrita solenemente e quanto a sua parceria com a rainha terá os frutos pretendidos!
    alguem sabe me dizer onde os posso comprar?
    obrigada

    ResponderEliminar