outubro 12, 2013

The Walking Dead , A Ascensão do Governador - Robert Kirkman & Jay Bonansinga

Título original: The Walking Dead: Rise of the Governor
Ano da edição original: 2011
Autor: Robert Kirkman & Jay Bonansinga
Tradução do inglês: Casimiro da Piedade
Editora: Saída de Emergência

"No universo de "The Walking Dead" (uma admirável BD agora transformada numa premiada série de TV) não há maior vilão do que o Governador. Ele é o déspota que governa a cidade isolada de Woodbury e tem doentias noções de justiça: seja a forçar prisioneiros a combater zombies na arena para divertimento dos locais, seja a destroçar violentamente aqueles que o confrontam. O Governador é um vilão que tão cedo não se esquece e a sua história é uma das mais controversas que Robert Kirkman, criador de "The Walking Dead", alguma vez concebeu. Pela primeira vez, os fãs irão descobrir como é que o Governador se tornou neste homem implacável e aquilo que o levou a tais extremos." 

The Walking Dead é, originalmente uma BD extraordinária, cujo fim ainda está por escrever. A BD deu origem à série de televisão de que todos já ouvimos falar e que provavelmente muitos de nós segue. É uma série visualmente poderosa, com uma história que, não sendo sempre fiel à BD, mantém o espírito da mesma. 

The Walking Dead, A Ascensão do Governador é um dos muitos livros satélites que irão surgir relacionados com a história. O Governador é uma das personagens mais sinistras e assustadoras da BD, e é a história dele que o livro vai contar. Vamos conhecer-lhe as frustrações, as perdas, os medos e, infelizmente não lhe conhecemos vitórias. Talvez se existissem vitórias no mundo pós-apocalíptico onde todos lutam para sobreviver, o Governador pura e simplesmente não existisse. Bastava uma pequena vitória, e este livro não teria sido escrito ou teria outro nome no título. 

The Walking Dead , A Ascensão do Governador só faz sentido para quem, no mínimo, segue a série de televisão, porque sem conhecer o Governador não vejo qual o interesse em querer conhecer o Phillip. Não vou falar da história que este livro conta, seria fácil contar-vos o percurso de Phillip em duas ou três frases, o que seria obviamente redutor. 
O livro em si, é normalíssimo, com uma escrita simples, sem floreados e com muitas descrições agoniantes, como seria de esperar num cenário onde os mortos teimam e regressar à vida e insistem em pôr o dente em tudo que vive. É por isso um livro que se lê bem, mas sem grandes entusiasmos. Pessoalmente só queria saber quando é que Penny, a filha que o Governador mantinha "viva", iria tornar-se uma mordedora e qual iria ser o papel de Phillip. 
Não creio que o livro acrescente muito à história original e também não torna o Governador mais humano. Acho até que o twist final acaba por não fazer sentido face ao que conhecemos do comportamento do Governador. 

Vale a pena ler? Vale, se tiverem numa fase mais no-brainer, porque o livro é bem linear, puro entretenimento. E, se este tipo de histórias com zombies e afins for algo que gostem de ler é de certeza um livro de que vão gostar. 
É essencial para os fãs de The Walking Dead? Não acredito que seja. O que vale mesmo a pena é seguirem a BD. Essa sim, aconselho a todos, mesmo aos que não vão muito à bola com histórias de zombies e, para os que são mais sensíveis à questão do sangue e vísceras expostas, informo que a BD é a preto e branco. :-) 
A história de Robert Kirkman é muito mais do que isso, acreditem. 

Boas leituras! 

Excerto:
"Baixa a arma e olha para a sua filha. A menos de dois metros de distância, ataca à árvore, a Penny rosna com a filme animalesca de um cão raivoso. O seu rosto de porcelana encolheu até se transformar numa cabaça esbranquiçada e apodrecida, e os olhos que outrora foram tão suaves parecem agora pequenas moedas de prata. Os seus lábios inocentes em forma de túlipa estão agora enegrecidos e encurvados para fora, revelando dentes escuros e lodosos. Ela não reconhece o pai."

1 comentário:

  1. Para quando um livro de Raul Brandão?
    Gostava de ler sobre isso.

    ResponderEliminar