março 20, 2011

[ebook] Animal Farm - George Orwell

Título original: Animal Farm
Ano da edição original: 1945
Autor: George Orwell

"When the downtrodden animals of Manor Farm overthrow their master Mr Jones and take over the farm themselves, they imagine it is the beginning of a life of freedom and equality. But gradually a cunning, ruthless elite among them, masterminded by the pigs Napoleon and Snowball, starts to take control."

Animal Farm, A Quinta dos Animais na mais recente edição portuguesa, é um livro que deveria ser de leitura obrigatória. Para além de muito bem escrito, é um livro que expõe de uma forma extremamente simples o comportamento humano, personificado na revolta dos animais da Quinta Manor, dirigida pelo desleixado Mr Jones. Nessa revolta todos os animais da quinta estavam unidos pelo desejo de uma vida livre onde não houvesse falta de comida, chicotadas ao fim de um dia de trabalho, e que não tivessem de dar todo o produto do seu trabalho aos humanos que nada faziam. A revolta dos animais é bem sucedida e toda a família Jones é expulsa da quinta. Como se vão organizar os animais na gestão da quinta? Como vão entender-se animais tão diferentes - cães, cavalos, galinhas, ratos, pombos e porcos? Como nos comportaríamos nós, humanos, numa situação semelhante? Ver-nos, de um momento para o outro, sem governo, sem liderança e completamente livres, como nos organizaríamos?, porque neste caso a resposta não é o caos.
Quase instantaneamente, os porcos Snowball e Napoleon, assumem a liderança, por se considerar que os porcos são animais mais inteligentes, aprenderam a ler em três meses, e por isso mais bem preparados para governar a quinta e todos os seus habitantes. Reunindo todos os animais, são tomadas as primeiras decisões: mudam o nome da quinta para Animal Farm, cantam o seu hino Beasts of England e estabelecem os sete princípios do Animalismo:
  1. Tudo o que ande sob duas patas é inimigo;
  2. Tudo o que ande nas quatro patas, ou tiver asas é amigo;
  3. Nenhum animal deverá usar roupa;
  4. Nenhum animal deverá dormir em camas;
  5. Nenhum animal deverá beber álcool;
  6. Nenhum animal deverá matar outro animal;
E o mais importante de todos:
7. Todos os animais são iguais.

No fim da primeira reunião, o leite que tinham conseguido ordenhar das vacas aflitas, desaparece... E este é o primeiro sinal de que nem tudo irá correr como o planeado.

Inicialmente tudo corre bem, mas com o passar do tempo, quem tem o poder, neste caso os porcos, começa devagarinho, através de estratagemas e mentiras, a organizar-se de forma a serem beneficiados. Os outros animais, menos inteligentes, em desvantagem por não saberem ler, são facilmente manobráveis e sem que se apercebam disso acabam a trabalhar mais horas e a ter menos comida disponível. Acham, no entanto, que a liberdade e o trabalharem para si próprios é por si só uma mais valia. Seria se essa fosse a realidade, o que não é, porque gradualmente, os animais da quinta chegam a uma situação em que em vez de serem governados por Mr Jones são escravizados por Napoleon, que se transforma num ditador tirano.

No fim, todos os fundamentos da Animalismo são subvertidos e o sétimo passa a ser:
All animals are equal but some animals are more equal than others.

Na verdade, nada do que Orwell diz será uma novidade, porque é da natureza do Homem liderar e ser liderado e a partir desse momento, a ideia de que todos somos iguais cai por terra, porque a realidade é que uns são mais iguais do que outros. É assim que o Homem funciona e é assim que sempre funcionará. A ideia de que um dia viveremos num mundo justo onde todos seremos igualmente ricos e felizes é uma utopia, e por isso mesmo não realizável. Mais importante do que o fim, a dita utopia, é o que se consegue mudar no processo. Umas vezes avançasse no sentido de uma sociedade mais justa, outras vezes afastamo-nos desse desejo, mas o que realmente importa é que no processo de perseguir essa utopia, vamos evoluindo como sociedade e como seres humanos. O que é realmente importante é continuar a acreditar que podemos fazer a diferença pela positiva, no mundo que deixamos aos nossos filhos. :)

É um livro muito bom, imprescindível e que se lê de um folêgo. A escrita de Orwell é fluida, directa, simples e eficaz. É, para além disso, um livro que poderá ser lido por miúdos e graúdos, com as devidas diferenças, ou não, na profundidade das interpretações feitas por cada faixa etária.

Leiam! :)

Excerto:
"«Comrades», he said, I trust that every animal here appreciates the sacrifice that Comrade Napoleon has made in taking this extra labour upon himself. Do not imagine, comrades, that lidership is a pleasure! On the contrary, it is a deep and heavy responsibility. No one believes more firmly than Comrade Napoleon that all animals are equal. He would be only too happy to let you make your decisions for yourselves. But sometimes you might make the wrong decisions, comrades, and then where should we be?"

2 comentários:

  1. Completamente de acordo! :) Um livro de culto, este e o "1984".

    ResponderEliminar
  2. Este livro foi de leitura obrigatória na disciplina de inglês do meu 10º ano. Nunca mais o esqueci. E já lá vão muitos anos...
    Parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar