março 23, 2011

O Estranho Caso de Benjamin Button - F. Scott Fitzgerald

Título original: Tales Of The Jazz Ages: Fantasies
Ano da edição original: 1922
Autor: F. Scott Fitzgerald
Tradução: Nuno Castro
Editora: "Colecção Livros de Filmes" da Revista Visão

"Benjamin Button é um homem com uma vida ao contrário: nasce como um velho e à medida que vai vivendo, vai rejuvenescendo, o que lhe permite ver sociedade que o rodeia com um olhar crítico, mas também experimentar uma série de problemas muito diferentes dos do comum dos mortais. Juntamente com a história protagonizada por Benjamin Button, este volume recolhe as outras histórias catalogadas pelo autor como Fantasias, entre as quais se destaca Um Diamante tão Grande como o Ritz."

Começo por esclarecer que na verdade este livro é um livro composto por quatro contos, incluindo O Estranho Caso de Benjamin Button, que dá nome a esta edição da revista Visão. Este conjunto de contos, Fantasies, faz parte de uma colectânea de textos de F. Scott Fitzgerald, Tales of the Jazz Age. Feito o esclarecimento passemos aos textos.

O Diamante Tão Grande Como o Ritz:
Esta é a estranha história de um diamante tão grande como o Ritz, uma montanha que é na verdade feita de diamante. O dono dessa montanha é um homem estranho e extremamente perigoso. John T. Unger, é convidado por Percy, seu amigo e filho do homem mais rico do mundo, a passar as férias no castelo da família Washington, na montanha de diamante. Deslumbrado com toda a riqueza e poder que encontra, o jovem não se apercebe do que perigo que corre.

"Estava a divertir-se tanto quanto podia. A felicidade da juventude, bem como a sua insuficiência, reside em que não pode viver no presente, tendo sempre de comparar o dia que passa com o futuro radiantemente imaginado: flores e ouro, raparigas e estrelas, não são mais do que premonições e profecias do incomparável e inalcançável sonho juvenil."

O Estranho Caso de Benjamin Button:
Benjamin Button nasceu com cerca de setenta anos. Nasceu velho, com barba e olhos cansados. Benjamin Button morreu, ao fim de setenta anos de vida, com a aparência e a mente de um bebé. Nos entretantos viveu uma vida extraordinária! :)
Embora tenha gostado deste texto, não posso deixar de o comparar com o filme que achei de longe muito melhor. É verdade que a originalidade da ideia me foi apresentada no filme, mas no texto a sensação de absurdo acompanhou-me sempre, enquanto que no filme se consegue uma profundidade maior e, a ideia de alguém nascer velho não parece assim tão estranha. :)

"Os olhos do senhor Button seguiram o dedo da enfermeira, e isto foi o que viram: envolto numa volumosa manta branca e parcialmente incrustado num dos berços, havia um homem de idade, que aparentava uns setenta anos. (...) O velho olhou para o senhor Button com olhos apagados e murchos, nos quais se escondia uma pergunta perplexa."

O Tarquínio de Cheapside:
Sapatos Ligeiros é perseguido por Botas Fluidas. Que fez Sapatos Ligeiros às Botas Fluídas, para que estas o persigam de forma tão decisiva? Wessel Caxter, um leitor ávido, vê a sua leitura ser abruptamente interrompida por Sapatos Ligeiros e pelos seus perseguidores. Uma vez a salvo, Sapatos Ligeiros escreve o que se passou para que Wessel o possa ler. :)

"Sapatos Ligeiros atravessa disparado uma faixa de luar e depois lança-se como uma flecha para um labirinto de ruelas onde se converte numa perturbação intermitente na escuridão que o envolve.Atrás dele lançam-se as Botas Fluídas, com espadas curtas desembainhadas e longas plumas meio caídas, arranjando fôlego suficiente para maldizer Deus e as escuras vielas de Londres."

A Bruxa do Cabelo Avermelhado:
Merlin Grainger é o jovem empregado da livraria Moonlight Quill. Não gosta particularmente do que faz mas falta-lhe a coragem para arriscar voos mais altos. Merlin é apaixonado pela rapariga que vê da janela do seu quarto, Caroline. Um dia Caroline visita-o na livraria e provoca em Merlin um desassossego que nunca mais o abandona. Passam-se os anos e Merlin entretanto casou-se com uma outra rapariga. A sua vida é feita de rotinas e vazia de imprevistos até ao dia em que Caroline entra novamente na livraria e ele se apercebe de que a vida passou por ele sem que ele a vivesse. Triste a vida de Merlin.

"Mas era demasiado tarde. Enfurecera a Providência por resistir a demasiadas tentações. Só lhe restava o céu, onde só encontraria aqueles que, como ele, tinham desperdiçado a sua passagem pela terra."


Resumindo e baralhando, gostei destes textos de F. Scott Fitzgerald e acho que foi uma boa introdução à escrita deste tão aclamado escritor.

Boas leituras!

9 comentários:

  1. Este blog foi premiado com o Kreativ Blogger Award - ver mais aqui: http://insomnia.blogs.sapo.pt/120031.html

    ResponderEliminar
  2. Não sabia que o livro trazia mais três contos. Li a do título, antes de ir ver o filme, e gostei (muito diferente do filme). Agora, espero é ter comprado o livro que saiu com a revista para ler os outros (já não me lembro se não o comprei porque tinha o livro com o conto noutra colecção e se não o comprei, vou tentar encontrá-lo em alguma tabacaria...)
    beijinho e boa semana
    Gábi

    ResponderEliminar
  3. Comprei o livro na altura em que o filme estava nas salas de cinema, tendo em conta a crítica ao filme, espera uma bom livro. Confesso que não foi um livro que gostei, é um livro surreal, mas que quanto a mim ficou muitos temas por abordar. Sinceramente espera muito mais.

    ResponderEliminar
  4. Redonda: Também desconhecia isso até ao dia em que o abri para ler. :) Gostei bem mais da forma como a história foi abordada no filme. Achei o conto menos bem conseguido.
    Boa semana!

    Tiago: Chegaste a ver o filme? Eu gostei imenso do filme, que está bastante diferente do conto. :)

    ResponderEliminar
  5. Não cheguei a ver o filme mas nestas coisas prefiro sempre o livro!

    ResponderEliminar
  6. Sofá Amarelo: Olha que neste caso é bem capaz que o filme te surpreenda. :)

    ResponderEliminar
  7. Olá,
    Você gostou do Beijamin Burton?
    Não gostei do filme, achei a história bizarra e sem grandes diferenças, de qualquer maneira morremos. prefiro histórias de máquina do tempo que apesar de bizarra a gente viaja p/ outras eras rsr
    Não li mas, quem leu disse que do autor muito bom é Belos e Malditos e O Grande Gatsby.
    Abç
    e boas leituras!

    ResponderEliminar
  8. CMachado: Gostei bastante do filme. Ainda bem que não gostamos todos do mesmo! :) Quanto ao livro, gostei da escrita e fiquei curiosa para ler outras obras dele. Provavelmente será a mais conhecida dele, O Grande Gatsby. :)

    ResponderEliminar
  9. Olá!! N. Martins,
    Sim claro gostos diferentes, além de gostos creio que cada um de nós qdo lemos ou assistimos na telona uma determinada obra. Toca-nos ou não pela bagagem de vida e criação, origem da nossa formação, na fé, no que cremos... Compreendes o que digo??
    Desejo destacar o que não me disse nada e saber de ti o que achastes interessantes. Gosto disso de saber o que outros pensam. Afinal, discutir ideias é o melhor de tudo, não achas??
    (O Curioso Caso de Benjamin Button), assisti ao filme, muita gente gostou, eu não achei uma grande coisa a história em si, pois, tanto faz nascermos velho e com o tempo rejuvenescer. Um dia ficamos dependentes de outros p/ nos cuidar e acabamos por falecer. Ainda pior, enquanto a vida começa p/ nós outros não estão tão bem.
    Como gosto de moral da história, compreende, não me basta só que me contem uma história...
    Comento, não p/ dizer que eu estou certa de não ter gostado. Mas, porque gostaria do seu ponto de vista, o que te tocou. Entretanto, você pode ter gostado por gostar, vou entender, cada um é de um jeito.
    Mas, se tem algo a destacar, se puderes me digas ok!?
    Gosto muuuiiito como escreves, sem falso elogio se você tivesse uma ideia p/ um livro certamente que o leria!!!!
    abç

    PS:Quanto ao que destaquei, sobre uma história (ideia) boa, uma viajem no tempo, imagina se pudéssemos? Conheceríamos nossos personagens e acontecimento que nos marcaram... (só p/ ilustrar)Hipoteticamente falando, viajar no tempo é uma ideia impossível, mas se fosse possível seria gostoso. A ideia de passarmos de idosos para jovens, não achei incrível, mas como a maioria de nós teme envelhecer, talvez isso tenha tocado muitos.

    ResponderEliminar